Resenha: O Teorema Katherine

Olá terráqueos, como estão? Hoje tem resenha de um livro beeeeem bipolar, amado por uns e odiado por outros. Eu me encaixo nos que amaram, e se continuarem lendo vão entender porque!

O Teorema Katherine

Título:  O Teorema Katherine
Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Gênero: Ficção, Romance
Ano: 2013
Páginas: 304
Nota:✩✩✩✩✩(5/5 Excelente!) 
Sinopse:  Colin conhece Katherine. Katherine gosta de Colin. Colin e Katherine namoram. Katherine termina com Colin. É sempre assim.
Após seu mais recente e traumático pé na bunda, o Colin que só namora Katherines resolveu cair na estrada. Dirigindo o Rabecão do Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo na carona, o ex-garoto prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam.
Resenha: 

 


Colin Singleton é um garoto de 17 anos que acaba de terminar o ensino médio, até aí tudo normal, mas o rapaz tem duas características que fazem dele "diferente": Colin é um garoto prodígio, consegue armazenar informações com rapidez e tem facilidade de aprendizado, mas ainda não é um gênio, ainda não teve seu momento "Eureca!", no qual se tem uma ideia brilhante, revolucionária. Além de ser um prodígio, o sujeito teve 19 ex-namoradas, cujo nome de todas era Katherine, não era algo programado, é como se Colin só se apaixonasse por Katherines.
Após ser chutado pela a K-19 e ter se frustado com a possibilidade de nunca ser um gênio e perder o seu título de prodígio, Colin está em pedaços, não consegue fazer planos para ingressar em uma faculdade ou arrumar um emprego, o que preocupou seus pais e Hassan (o seu único e melhor amigo). Na tentativa de animar o amigo, Hassan sugeriu que nessas férias não procurassem uma faculdade ou um emprego, mas que saíssem de carro- o Rabecão do Satã- em uma viagem sem rumo. Depois de muito insistir Colin aceitou, chegou a conclusão que talvez fossem bom para esquecer a Katherine XIX.

Colin em relação com a K-19
E é a partir daí que o livro começa a esquentar! Depois de tantas horas de viagem, Hassan e Colin fazem uma parada em uma cidadezinha chamada de Gutshot, para que Colin pudesse ver onde o arquiduque Francisco Ferdinando foi enterrado ( para quem não sabe, a morte desse arquiduque foi o estopim da 1ª Guerra Mundial). Lá conhecem Lindsey, uma espécie de guia, que os mostra o túmulo e conta toda a história envolvida na morte do arquiduque. Lindsey era uma garota simples, mas que tinha um sorriso contagiante e namorava um rapaz chamado Colin, ou OOC como eu, Hassan e Colin gostamos de chamar. 
Os amigos decidem que é ali que a viagem acaba, será aí onde o Rabecão do Satã vai estacionar. É ali em Gutshot que Colin, tem seu momento "Eureca!", decide criar um teorema que ia prever quando um relacionamento acabaria antes mesmo das pessoas se conhecerem. E então a estória de Colin se desenvolve, das aventuras que serão vividas enquanto estiver nessa cidade, e também revelações, mas aí só lendo mesmo para descobrir!


Foi o livro mais culto que li do John Green, cheio de Matemática, Filosofia, Ciência... A Matemática contida no livro não é complicada, eu até acho que não seja necessário um compreensão das equações ou funções apresentadas. A leitura de O Teorema Katherine é bem prazerosa, proporciona momentos de riso com facilidade, mas também de reflexão, é uma leitura leve e que flui com facilidade. Os personagens foram bem construídos e tem características bem interessantes, considerei esse livro bem original, não identifiquei clichê, e se houve foi imperceptível.
A única coisa que me incomodou era o comportamento de Colin quando se tratava da inteligência, era um sujeito um tanto irritante nessa área, mas não é nada grave que te faça querer abandonar o livro. E o final que eu fiquei: what??? o.o, foi tudo bem inesperado, mas de certa forma bem inteligente da parte do John Green, que deixou um ar de: " a estória não acaba aqui". Enfim, eu recomendo a leitura, foi uma boa experiência pra mim, nem entendo como tantas pessoas podem não ter gostado, mas cada um tem seu ponto de vista. Ah, eu amei tanto a expressão "fuggie" inventada pelos amigos que agora faz parte do meu vocabulário.

É isso gente, espero que tenham gostado, até o próximo post.


4 comentários:

  1. Oiiii! (:

    Este livro está na minha estante, e vou ver se consigo lê-lo antes mesmo das férias acabarem. Ele parece muito legal, com uma estória engraçada, divertida e inteligente. Bem estilo John Green! :P

    Sua resenha ficou ótima!
    Rafa-Eu + Livros
    www.eumaislivros.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rafa! Lê sim, exatamente. Obrigada, beijão!

      Excluir
  2. Oie Hemilly também gostei desse Livro, me senti uma gênia da Matemática quando conclui a leitura, e me diverti muito com tudo, não achei nada clichê também! E foi um dos Livros do John que achei mais divertido! :D
    Também não entendo porque muitas pessoas não gostaram, mas cada um com a sua né!?

    Beijoos e até logo! *-*
    https://worldofmakebelieveblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Igualmente, hahaha, pois é... Mas foi um livro tão brilhante que eu realmente não consigo entender!
      Beijo Mandy <3

      Excluir